12 novembro, 2014

Dicas para diminuir o ciúme entre irmãos!

naianybritofotografia-3253

Por Talita Vilani

A chegada de um irmãozinho pode causar muito stress na família! É que nem sempre o irmãozinho mais velho aceita bem a ideia de ter que dividir seu “reinado” com outra criança. É totalmente normal seu filho sentir ciumes da chegada de uma nova criança na família, mas claro, desde que isso não crie um problema pra família afinal, esse bebe veio pra somar e não dividir. Abaixo, algumas dicas sobre como lidar com esse momento:

Conte para o seu (s) filho (s)  mais velho, antes de qualquer outra pessoa: Valorize esse momento em família. Você e seu companheiro podem sentar com o filho e contar sobre a felicidade e a benção que é ter mais uma criança na família. Eu particularmente não acho necessário reforçar que “o amor vai continuar o mesmo” e que nada vai mudar pois acho que muitas crianças assimilam a partir dai a mudança, ou seja, esse comentário pode, ao invés de ajudar criar ideias negativas na cabeça da criança . Quanto mais natural for, melhor.

Se for trocar seu filho de quarto, faça isso antes de tudo! Quando soubemos da gravidez da Maria Luiza, já sabíamos de cara que iriamos mudar o Enrique pro quarto maior. Foi um processo de grande mudança pois, além disso ele estava saindo da fralda noturna e deixando de dormir no berço. Fizemos da mudança de quarto um evento. Tudo era assunto sobre o quarto novo, começamos a pinta-lo, escolher a cama dele, sempre o envolvendo na escolha. Tanto que, todos que chegavam ele ia mostrar as mudanças do quarto novo, e ainda contava que estava deixando o dele pra Malu. Alias, qualquer mudança deve ser começada antes da chegada do bebe, por exemplo, se seu filho começar a frequentar a escola, que seja antes do bebe chegar!

Deixe que seu filho interaja com os preparativos e com “a barriga”: Envolva ele nos preparativos do enxoval, nem que for só pra acompanhar vocês nas compras ou “arrumar” o quartinho. Reforce que o bebe é da família, logo é dele também e ele é importante nas escolhas para a vida do novo bebe também. Deixe que ele fale com o bebe na barriga, leve nos ultrassons e incentive o carinho entre eles.

Se ele reagir mal no começo, converse e seja paciente: Mesmo que seu filho tenha uma reação muito agressiva com o irmãozinho, converse com ele e explique os limites. Tenha também um tempo para se dedicar a ele. Nos primeiros dias, que não é tão fácil para a mamãe dar atenção para o filho mais velho, o papai pode fazer a vez de dar uma atenção maior para o filho.

Para mim, quanto mais natural for a recepção da gestação, melhor a criança reage!

O pediatra do seu filho pode ajudar e muito com dicas sobre essa nova fase! Nunca hesite em pedir a ajuda dele em caso de duvidas!

E quando o mais velho é filho de um relacionamento anterior?

Na verdade, melhor seria se você não tivesse filhos com alguém que já tem filhos com outra pessoa. Muitos problemas seriam evitados.

Acho esse assunto bastante delicado e bem mais complicado pois, se já existe ciumes entre filhos dos mesmos pais imagina quando um deles é diferente. Acho pior quando é o pai – que usualmente não tem a guarda da criança – que vai ter um filho num outro relacionamento pois, como a criança já não vê o pai todos os dias pode achar que será “substituído” pelo irmão ou ainda achar que aquela criança vai ter mais amor, mais carinho e mais “recursos” por morar com o pai. Novamente, acho que tudo deve ser feito com muito cuidado e carinho mas claro, sem deixar que aquela criança/adolescente interfira demais na vida do pai/madrasta ou mãe/padrasto. Uma das coisas mais comuns é tratar o filho do relacionamento anterior como “coitadinho”. Não caia nessa armadilha! Trate-o como parte da família, seguindo as mesmas dicas acima. A parte mais complicada é até que ponto madrasta/padrasto podem apontar um mal comportamento pois, na maioria das vezes, são mal interpretados. Converse com o seu marido/esposa e deixe para ele/ela a responsabilidade de lidar com o ciúme no sentido de ter que sentar e conversar com o filho sobre o irmão. As chances de novos conflitos são menores quando madrasta/padrasto não fazem esse papel.

Gostou? Compartilhe!

Comente esse post no facebook...

Comente aqui no blog!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recomendados para você...

Voltar ao topo

Confira já o nosso Guia

Procurados, achados e selecionados exclusivamente para você